Crítica do Filme “The Denali Experience”

Em  Hollywood de tempos em tempos há uma reunião de vários profissionais de alta qualidade técnica para a realização de filmes que são verdadeiras aulas.

Assim poderia se definir o pequeno vídeo de grande produção realizada pela North Face.

Assistir aos pouco mais de 15 minutos é como verdadeiramente assistir a todos os grandes elementos de filmes outdoor reunidos em toda a sua duração.

Está alí verdadeiras aulas de várias técnicas de tratamento de imagens, e até mesmo de captação de som.

Caso alguém não saiba, já foi citado aqui a dificuldade de captação de som com câmeras DSLR.

Vou repetir: a captação de imagens é de uma exuberância inversamente proporcional ao quadrado à capacidade de captação do som ambiente. Não é defeito, e sim característica deste tipo de equipamento.

Até mesmo esta característica no filme foi contornada com uma categoria dificilmente vista em filmes outdoor.

A premissa do filme é simples: levar dois dos expoentes em esqui na neve e snowboard para uma alta montanha e faze-los se divertirem por la. Um misto destes esportes citados com escalada de alta montanha.

Foram escalados os principais nomes da North Face, tanto de captação de vídeo como de expedições para levar os dois rapazes que iriam descer.

É mostrado no decorrer do curto vídeo, todo o sofrimento que é característico de quem sobe em um alta montanha. Frio, fome, cansaço e todos os fatores deste tipo de escalada estão lá, embora um pouco diluídos.

Para todos aqueles que apreciam o gênero é praticamente obrigatório ver e rever o vídeo, pois nele há várias técnicas e estilos de filmagem do gênero. Arrisco a dizer que o filme está para o mundo de vídeos outdoor assim como Avatar está para os filmes 3D.

Apesar de não terem se aprofundado muito em cada personagem do vídeo, o que deu uma pequena impressão de ser muito corrido, o filme enche os olhos de qualquer pessoa que gosta de videos outdoor.

A cada close, a cada pequena imagem captada fica evidente que o bom gosto imperou em quase todos os aspectos do filme, que poderia muito haver uma versão estendida, ou até mesmo um making of para que já se tornasse desde já um clássico.

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.