Conheça a garota que largou tudo para viajar o mundo gastando apenas R$ 20,00 por dia

Quem tem qualquer esporte como uma espécie de religião (repetindo cegamente ser um estilo de vida) está sempre na iminência de largar tudo e viajar pelo mundo. Uma viagem, seja ela internacional ou não, acrescenta muito à personalidade de qualquer um, além de contribuir imensamente pelo seu crescimento intelectual e cultural. Preconceito são quebrados, laços afetivos são feitos, culturas diferentes são absorvidas e realidades conhecidas.  Por este motivo que cada vez mais há exemplos de pessoas que largam a vida tradicional das cidades com trabalhos repetitivos e maçantes para conhecer o mundo o qual habita.

Estas pessoas optam por viajar no melhor estilo que existe : o mochilão. Sempre procurando ser comedido nos gastos também colaboram com a sociedade (ou seja não confundir com os “micróbios”) além de procurar aprender algo sempre. Isso porque uma viajem, outdoor ou somente de escalada, lava a lama de quem quer que seja.

Desta maneira a jovem russa Lena Khachin também decidiu descobrir o que tinha alem das fronteiras de seu país. Enquanto vivia na cidade de São Petersburgo (a segunda maior cidade da Rússia com mais de 4 milhões de habitantes)  estudou licenciatura em matemática e começou a trabalhar como programadora. Depois de juntar um dinheiro comprou uma passagem para conhecer algum país estrangeiro. Voltando de suas férias em Cuba, mais precisamente na primeira “perna” de sua escala, passando por Hamburgo, desceu do avião e comprou uma passagem para Bankok. Detalhe : a passagem era só de ida. Desta maneira decidiu dar um tempo de seu trabalho em TI e mergulhou de vez no universo das viagens de baixo custo.

Desta maneira viajou para Tailândia, Birmânia, Laos, Camboja, Índia, Filipinas e Vietnam. O motivo de ter decidido gastar apenas R$ 20,00 por dia tem uma explicação básica : Lena possuía penas o dinheiro que tinha economizado em seu trabalho e não contava com a ajuda dos pais para a aventura. O resultado foi a necessidade de economizar ao máximo. Com a quantidade que tinha de dinheiro optou apenas por gastar com hospedagem, comida, transados e itens indispensáveis. Lena Khachin aproveitou para criar um perfil no Instagram e o usa comercialmente para que possa bancar suas viagens.

Lena Khachin ainda incentiva quem pretende fazer o mesmo : “Um apartamento próprio, um salário estável depositado mensalmente e um marido aos 25 anos de idade não te garantem a felicidade”. A jovem russa afirma que a zona de conforto não é especificamente um lugar, senao um conjunto de lugares, situações e costumes que conhecemos e que gostamos, sem necessariamente ter escolhido. e que já sabemos atuar diante delas. A missão de Lena Khachin é inspirar as pessoas a sair desta zona de conforto pois assim perdemos a oportunidade de viver, aprender e explorar todas as experiências que estão mais além.

Entretanto a russa não saiu a esmo e sem planejamento para conhecer o mundo e mantém um padrão para cada destino que conhece :

  • Visando economizar dinheiro de estadia utiliza o serviço de Couchsurfing, desta maneira consegue encontrar pessoas de todo o mundo que lhe dará teto para dormir, muitas vezes gratuitamente, por algumas noites.
  • Levar somente na mochila o que seja necessário porque somente ela terá de carregar, e quanto mais pesado uma mochila maior é o sofrimento. Cada cisa esquecida é necessário gastar para comprar novamente o item.
  • Fazer trabalho pequenos como apanhar frutas, lavar pratos, varrer a casa, carregar compras, etc.
  • Dar sempre valor à comida nutritiva e saudável, isso dará força para seguir o caminho e não adoecer.

Para conhecer mais sobre Lena Khachin : https://www.instagram.com

Sobre o Autor

Elisabet De Marco

Elisabet De Marco

Webdesigner apaixonada por viajar e fazer trilhas de Mountain Bike, já fez mochilão pela Patagônia Argentina, Peru, Bolívia, Brasil e Uruguai.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.