Comprometimento na escalada – O que faz você ir mais longe ou desistir.

Enquanto houver comprometimento, haverá sempre hesitação, e uma chance de desistir o que é sempre inevitável.

O comprometimento pode levá-lo a escaladas difíceis, ou pode derrubar você. O que permite alguns escaladores ter um esta atitude de comprometimento e outros não?

Comprometimento é algo que alguns escaladores têm e outros não. Entretanto estes escaladores que são capazes de se comprometer aplicam sua atenção de maneira diferente.

Existe um momento para se preparar e outro para agir.

O comprometimento vem contido no momento de quando você está em transição para o agir e de pensar para fazer.

Foto: Nick Fletcher

Foto: Nick Fletcher

Grandes coisas acontecem aqui, mas a qualidade do seu comprometimento vai depender em como você negocia esta transição.

À medida que escala perto do seu limite, você aumenta a sensação de queda. Em vias difíceis você irá se defrontar com a decisão: comprometer-se com a escalada, ou, se a consequente queda não for segura, recuar.

Praticar o comprometimento pela seleção e escolha segura, escalada bem protegidas, você irá ser desafiado. Executando movimentos com uma mente decidida e expectativa baseada em no seu esforço, irá aumentar sua chance de sucesso.

Comportamento de fuga: Maioria dos escaladores são desafiados quando entram em partes fáceis e crux. O comportamento de fuga é comum quando você entra em um crux – procura uma saída para a ansiedade e medo causado pela escalada muito desafiadora e a realidade que pode você cair.

Lembre-se que você está em uma escalada difícil para desafiar você mesmo, e não para sair dela fácil. Encare a dificuldade, não a evite.

Dinâmica da dificuldade

Ansiedade e medo sempre vão aparecer até você deliberadamente enfrentar e se comprometer. Abaixo de cada crux é o seu ponto de decisão.

Quando está posicionado embaixo de algum crux, sua atenção é focada em juntar informações e pesar as opinões.

Quando você entra em ação irá parar de pensar e focar sua atenção em agir sobre estas opiniões. Esta mudança deve ser abrupta e completa. Convença você mesmo que existem somente duas possibilidades – você irá escalar ou irá cair.

Então se comprometa! Encare a escalada.

Aceitando plenamente uma eventual queda, você reduz as instruções de seu pensamento e elimina a tendência uma reação de fuga.

Expectativas

O tipo de expectativa que você tem pode tanto fortalecer seu comprometimento ou enfraquecê-lo. Quando você escala em um crux você deve esperar que será desconfortável. Acima disto, mantenha suas expectativas no seu esforço, e não no que virá. Isto ajudará manter a sua atenção focada na qualidade de sua escalada.

O esforço de focar sua atenção permite você a aprender, porque você recebe um retorno de rendimento bastante útil sobre sua performance, ao invés de uma avaliação de sucesso/fracasso você fica focado no que rendeu.

Seu comprometimento fica alto porque recebe o que você quer – retorno de rendimento e aprendizado – em cada passo do seu caminho.

Foto: http://www.stuffmakesmehappy.com/

Foto: http://www.stuffmakesmehappy.com/

Motivação

O tipo de motivação também irá impactar sobre o seu comprometimento. Em uma motivação baseada no medo – medo de cair, de falhar ou perder o controle – você entrará no crux com a atitude de fuga.

Você está focado assim em o que você NÃO quer que aconteça.

Portanto, cultive uma motivação positiva.

O que você gosta e se delicia sobre o desafio de escalar? O que virá pode ser incerto, mas você saberá que pode se comprometer. Coloque sua atenção no comprometimento e esforço despendido.

Use a sua técnica

Primeiro, identifique os pontos de transição – aqueles lugares abaixo do crux. Veja as conseqüências de uma eventual queda e as aceite. Terceiro, fique otimista na sua motivação olhando as possibilidades.

Seja decisivo

Se comprometa com o crux.

Ponha a sua atenção para assumir o risco e mantenha sua atenção focada em todos os esforços.

Se comprometa em cada ação da via – pare de pensar e põe pra jogo!

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.