Cochamó – Escaladas, Informações e Emoções sobre o “Yosemite da América do Sul”

Com certeza o apelido Yosemite da América do Sul assenta bem para Cochamó, já que ambos lugares são vales cercados por muitas montanhas brancas que ultrapassam 1.000 metros, com predominância de escalada em fendas.

Nereida no cume do Trinidad em Cochamo, Chile, pela ruta Easy Does It. Ao fundo, Cerro Tronador de Bariloche.

Também devido ao numeroso grupo de fortes escaladores americanos da Califórnia que vão passar janeiro e fevereiro em Cochamó, já que em Yosemite está nevando. Portanto em Cochamó eles podem ser igualmente testados em fendas perfeitas que chegam ao oitavo grau brasileiro, na faixa 5.12 pela escala americana, que é a usada no Chile.

Cochamó é um lugar difícil de chegar, com linda natureza preservada e que oferece também vias de alta qualidade nos democráticos graus 5.10 a 5.11 (sexto e sétimo graus brasileiro).

Montanha (Cerro) Trinidad, vias de 500 a 1.000 metros.

Neste artigo, eu, Nereida Rezende, que estive em Cochamó em fevereiro de 2015 com Daniel Casas e Arthur Estevez, vou primeiramente apresentar o local, as montanhas, as escaladas, falar das conquistas dos brasileiros nessas montanhas e no final oferecer informações sobre como chegar e outras dicas.

Meus parceiros nessa viagem de escalada são guias certificados pela Aguiperj, ambos com escolas de escalada, Daniel com a Salamandra em Joinville-SC e Arthur com a Cumes no Rio de Janeiro-RJ.

Anfiteatro de montanhas

As principais montanhas de Cochamó são

  • Cerro Trinidad, que tem vias acessíveis como a Easy Does It (5.10d 355m) ou exigentes, como a Bien Venido a minha insomnia (5.10d 955m)
  • Anfiteatro é um complexo de paredes, com setores como Espejo e Escudo e cujas costas, chamada de El Monstro, era o objeto de desejo das americanas fortes. O complexo tem vias acessíveis como Aleta del Tubaron, 5.10+ ou Excelente Mi Tenente, 5.11a
  • Cerro La Junta, que se escala a partir de uma caminhada de 40 minutos do camping La Junta tem uma linda via chamada Camp Farm (5.11a)
  • Gorila, cuja via mais famosa é a No Hay Hoyes 5.11, 210 m (5.10 obrigatório), com lindas fendas sustenidas.

Panorama de algumas montanhas de Cochamo. Fonte: http://chilemountains.info/

Cochamó é um pueblo ao sul do Chile, na mesma altura de Bariloche (observe mapas abaixo), cuja maior cidade perto é Puerto Montt, 1.000 quilômetros ao sul de Santiago.

De Puerto Montt há estradas até Puerto Varas (22 km) e Cochamó (93 km), onde começa a trilha, uma subida de quatro horas até o Camping La Junta.

Camping La Junta, com o Cerro La Junta ao fundo, cuja via Camp Farm é acessível na aproximação (40 minutos de caminhada) e graduação (5.11a, 300 metros), mas não faz cume, indo até o meio da parede, antes do headwall.

Arthur Estevez da Cumes saindo da offwith do terceiro esticão da via Camp Farm, com o Anfiteatro ao fundo

esquema de montanhas e trilhas da região de escalada de Cochamo. Fonte: Revista Chilena Escalando, que possui uma rica galeria de informações de escalada em Cochamo em http://www.escalando.org/2009/10/cochamo/

  • 3. Cerro La Junta – 1.000 metros
  • 4. Paredes Secas – 70 metros
  • 5. La Zebra – 100 metros
  • 8. Cerro Trinidad – 950 metros
  • 10. Gorila – 500 metros
  • 12. El Monstruo – 1100 metros
  • 13. Anfiteatro – 800 metros |Escudo – 700 metros | Espejo – 500 metros

Chegando ao camping e se instalando, pode-se logo ir para a parede La Zebra, para aclimatar, vias de 2 cordadas, 50 m de fendas cada.

Tanto a via Apnea como a da sua direita são boas, a segunda mais difícil.

Primeira cordada da via apnea, começa com o crux, uma barriga negativa de fenda frontal de entalamento de mãos e continua em diedro.

Segunda cordada, via apnea, entalamento de mãos e dedos.

Se chover, o que ocorre muito em Cochamó, existe uma opção de esportivas, uma falésia de vias bem negativas, Pared Seca.

Pared seca, esta é a via de sexto grau, boas agarras. O resto é mais difícil.

A via Camp Farm tem 6 esticões, tem um crux de offwith (chaminé de meio corpo) no terceiro esticão. Depois vem dois diedros de sexto grau absolutamente desfrutáveis e um último esticão 7a brasileiro (5.11a) técnica de fenda fina.

Daniel Casas, no [quinto esticão da Via Camp Farm, no Cerro La Junta, perto do camping principal (40 minutos de caminhada). Outra referência sobre a via: https://cochamo.smugmug.com/Cochamo/Climbing/Camp-farm/

O próximo desafio já exige uma aproximação de 3 horas subindo pela floresta, até a montanha Trinidad. Atualmente o rio está fácil de atravessar.

Camping La Junta é desse lado, o Refúgio Cochamó é logo do outro lado, assim como o início da trilha para o Trinidad.

Os donos do camping e refugio são escaladores, a entrada é livre para olhar os croquis e pode-se comprar pizzas, sanduíches, chocolate quente.

Eles estavam fazendo o guia; além de ver (e tirar fotos) dos croquis lá nas pastas, bastantes estão disponíveis no site deles: http://www.cochamo.com

carilho sobre Rio Cochamo

visitas ao Refugio Cochamo para ver os topos – croquis

Refugio Cochamó

Sobre as emoções de descobrir Cochamó, a aprendizagem proporcionada, a escaladora gaúcha Vanessa Staldoni nos conta em uma publicação em seu blog

Mapa Vale do Trinidad

Trilha para o Trinidad pela floresta de alerces

Bivaque na base da montanha Trinidad

A estratégia é fazer a trilha no dia anterior, com cargueira contendo material de bivaque, comida (duas jantas, 1 café e lanche de parede) e os equipamentos de escalada. Dormir na base do Trinidad, olha a barraquinha atrás.

Acorda bem cedo, mais 40 min de trilha e 10 esticões de escalada pela via Easy Does It.

Cochamó faz muito frio à noite. A emoção é o medo !

Medo de morrer de frio (os medos geralmente são irreais), medo de não dar conta de todo esforço ensejado no ataque, aproximar, escalar, abandonar.

El miedo es uno de tus enemigos dentro de ti. El miedo dice “no quiero estar aquí, en cualquier lugar, pero no aquí” El miedo dice ‘no estar allí cómodamente, no hacer, no sentirte bien ”. Controlar el miedo o ser controlado por él ? Feel the fear and do it anyway. A life lesson of the martial arts is how to channel your energy and face challenges despite your fears.

Iniciando a Easy Does It – EZ does it

Fendas em ondas conforme avanço na via EZ Does It

Off withs da via EZ Does It

Fendas sustenidas no sexto grau, via EZ Does It, no Trinidad

Diedros de ótima qualidade, via EZ Does It, Cerro Trinidad

Passagens horizontais, fendas de dedos e mãos e chaminés completam os últimos esticões da Via EZ Does It no Cerro Trinidad

Alguns trepes e cume Trinidad

Cume do trinidad pela Via EZ Does It

Destrepes abandono via EZ Does It

O abandono da via EZ Does IT implica 2 rapéis de 60 metros e descida de quase 1 km em destrepes por pedras soltas.

Em seu blog Daniel J Casas publicou suas impressões sobre a experiência vivida em Cochamo, num artigo inspirador para verdadeiros montanhistas:

Para os ultra feras escaladores de ponta, Cochamó inspira muito devido à presença dos dinossauros da escalada brasileira, Sérgio Tartari, Chiquinho Hartmann, Marius Bagnati, Ralf Cortes, Luis Pita, que desde os final dos anos 90 exploram e conquistam na região.

Veja as palavras de Sérgio Tartari em entrevista sobre o significado de Cochamo para eles:

Aí depois foi chegando o ano 2000, pra onde mais vocês iam ?

Começamos a ir bastante pra Cochamó com o Chiquinho (José Luis Hartmann), pra abrir bastante via por lá. Íamos bastante pra Chaltén também, fazer algumas agulhas… Surgiu a oportunidade de ir pro Trango, fomos em 6 pessoas, 3 fizeram cume, 3 não, eu fui um dos que não chegou.

Fomos pra Yosemite, depois pro Peru, onde escalamos uns 5 mil e a Esfinge… Mas Cochamó foi bem significativo, o lugar era quase virgem, conquistamos muitas vias longas por ali, foi bem legal, pois poucos tinham escalado no local e desbravamos e exploramos bastante por lá.

Então você e o Chiquinho revelaram para o Brasil estas escaladas que ainda não eram conhecidas ?

Quando a gente estava em 97 no Paine, uns ingleses, que foram os primeiros a escalar em Cochamó, falaram pra gente do lugar. Diziam que as paredes eram lindas, parecidas com Yosemite e que era perto de Puerto Montt. A gente ficou com aquilo na cabeça e como era uma fase em que a gente queria explorar, combinamos e no ano seguinte fui eu, ele, uma galera daqui do Rio, Pita, Ralf e o Marius Bagnatti de Santa Catarina.

Abrimos um big wall bonito, a “Mucho Granito Arriba”, de 17 enfiadas. Foi uma experiência bem boa. Abrimos mais uma e no ano seguinte voltamos de novo, abrimos duas, três ou mais… O Chiquinho seguiu indo lá e abriu mais vias. Cochamó foi um lugar bem simbólico pra gente, bem representativo.

Leia a reportagem escrita por Sergio Tartari baixando a revista headwall, edição nº5 (jan/fev 2003).

Pagina da revista Headwall, artigo de Tartari sobre Cochamo

Visão das montanhas Trinidad (esquerda) e Anfiteatro (direita) desde a parede Zebra. Ao centro o camping La Junta.

Outro boa galeria de fotos sobre as escaladas de Cochamó pode ser encontrado aqui: http://www.climbargentinachile.com

Flor amarela

Informações Complementares

Os brasileiros são muito bem recebidos em Cochamó, principalmente devido à passagem do Sérgio Tartari e Chiquinho Hartmann, que conquistaram lindas vias.

O casal de escaladores paranaenses Flora Kesselring Zugaib e seu companheiro, Tomas (Tomi) também são lembrados por lá, como um casal muito forte.

A foto do Tomi escalando a via conquistada pelo Chiquinho, via Pegadito em la Pared, 5.11d é muito famosa e usada na internet para divulgar Cochamó.

Tomi na via Pegadito em La Pared | Foto de Valentin Barchi

O ideal em Cochamó é escalar com cordas duplas e dois jogos de friends. As fendas que permitem proteções móveis não são grampeadas, mas há paradas fixas nas vias. Escaladores de nível intermediário já conseguem se divertir nas vias mais fáceis de Cochamo, que são perto do camping La Junta e tem muitas trilhas lindas e cachoeiras para curtir.

Nas paredes do Trinidad, Anfiteatro e Gorila, porém, devido ao comprometimento, dificuldade de aproximação e extensão das vias, a presença de um escalador experiente é recomendada. E será preciso ter isolante térmico, saco de dormir e material para cozinhar.

O preço do camping para escaladores é em torno de 15-20 reais (3.000-4.000 pesos chilenos). A cotação está 1 real = 194 pesos chilenos, mas é bem fácil fazer as conversões de cabeça usando a simplificação 1.000 pesos chilenos = 5 reais, 10.000 pesos chilenos = 50 reais.

Nós fizemos a viagem de carro, indo pela Argentina e na altura de Neuquen, pegamos para o Chile em direção a Temuco.

Indo de avião e ônibus, o caminho é Santiago – Puerto Montt. Esta auto-estrada chilena que vai de Santiago à Puerto Montt é uma via rápida de velocidade máxima 120 km/h e muitas pistas. É possível fazer seus 1.000 km em um dia apenas.

Fazer compras de equipo em Santiago, no Sports Mall é uma perdição de falir escaladores, porque tem todas as marcas estrangeiras por ótimos preços. E se for possível na ida ou na volta passar por Mendoza para escalar em Arenales, será uma viagem de sonhos!

A passagem de carro que liga Osorno a Bariloche é muito boa.

Tendo tempo, um escalador pode juntar Cochamó com El Frey e esticando mais 300 km pra baixo curte Piedra Parada também.

Sobre o Autor

Nereida Rezende

Nereida Rezende

Nereida Rezende escala desde 2008 e é no flow dessa atividade que ela se harmoniza com a essência da vida. Consciente de que está vivendo o dharma, ela vem consolidando sua trajetória profissional em escalada com a Climbing In Brazil, que opera como escola de escalada, receptivo de escaladores estrangeiros no Brasil e de brasileiros ao redor do mundo.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.