A história do Caminito del Rey: A rota que era conhecida como a mais perigosa do mundo

Você já escutou falar sobre o Caminito del Rey? A caminhada, para alguns constitui uma trilha, por entre penhascos com uma alta sensação de exposição, foi recentemente reformado e atualmente é bastante seguro. Não que tenha perdido a sua periculosidade, mas atualmente é um caminho para fazer e contar várias histórias.

O Caminito del Rey, que fica no cânion de los Gaitanes, na província espanhola Andaluzia (distrito de Málaga) é um dos trajetos de trekking considerado das mais perigosas do mundo. Sua periculosidade perde somente para o trekking Huashan na China.

Passando por paredes verticais com 300 metros de altura, toda em calcário, esculpidas pelo rio Guadalhorce, é um dos lugares que se pode encontrar escaladores de todo o mundo. O local de escalada da região é conhecido como El Chorro e conta com mais de 1.000 vias de escaladas conquistadas.

A graduação em El Chorro é bastante variada, com muitas vias de 5° Fr (15%), 6° Fr (45%), 7° Fr (30%) e 8° Fr (10%). Não vias de nono grau francês. A altura média das vias do local é de 20 metros, mas há algumas com até 230 metros.

História

A região, no início do século XX, necessitava de uma hidroelétrica para que a região se desenvolvesse. A encarregada disso foi a Sociedad Hidroeléctrica del Chorro, uma empresa criada em 1903 (mas dissolvida em 1967) na província espanhola de Málaga, sendo a segunda companhia hidrelétrica ibérica da história.

Enquanto a empresa, que era a proprietária de Salto del Gaitanejo e Salto del Chorro, localidades que estavam sendo construídas hidroelétricas, vislumbraram a necessidade de uma maneira que os operários pudessem fazer a manutenção. Transporte de materiais e vigilância dos locais.

Assim nasceu a iniciativa de construir pequenos corredores suspensos, em forma de prateleiras, para que os operários pudessem realizar as tarefas. Com esta “canetada”, iniciou-se as obras em 1901 e somente foram concluídas em 1905. Entretanto, a hidroelétrica somente foi finalizada em 1921. Na sua inauguração o Rei Alfonso XIII foi prestigiar a nova obra. Diz a lenda que ele percorreu todo o caminho, mas há quem diga que ele somente visitou mas não teve coragem de percorre-lo.

A partir deste momento esta prateleira suspensa foi batizada de Caminito del Rey. Mas com o tempo, especialmente após a dissolução da hidroelétrica, a rota foi abandonada, sem qualquer manutenção. Com isso a estrutura ficou comprometida, tendo vários desmoronamentos em alguns trechos.

E hoje?

Atualmente o Caminito del Rey é uma rota turística, não sendo usada mais por operários. O local é gerenciado pelo órgão de mesmo nome, foi reformada e reinaugurada no início do século XXI.

Após a morte de quatro turistas, por conta de dois acidentes, nos anos de 1999 e 2000, respectivamente, o governo da Espanha fechou o caminho à visitação. Somente em 2011, o governo da Andaluzia entraram em um acordo para custear a obra e restaurar o trajeto.

Na remodelação foi construído um estacionamento, iluminação e museu. Ao todo foram gastos de € 9 milhões e durou aproximadamente três anos e fi reaberto em março de 2015.

Nos últimos anos, antes de sua reforma, tinha ganho o apelo de trekking mais perigoso do mundo. Os visitantes e população local avisavam que somente os mais valentes conseguiam fazer todo o percurso.

Curiosamente a estrutura da prateleira suspensa era em madeira, atualmente, após a reforma é toda em concreto, com guarda-corpo e até mesmo um cabo de aço usado da mesma maneira que uma via-ferrata.

Mais informações: http://www.caminitodelrey.info

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.