Aquecimento global faz com que cada vez mais cadáveres fiquem à mostra no Everest

Próximo de iniciar a temporada de montanhismo no Monte Everest (8.848 m), uma nova realidade começa a incomodar os profissionais que exploram a escalada no lugar: Novos cadáveres à mostra. De acordo com uma reportagem pela BBC, cada vez mais cadáveres estão ficando expostos em partes da montanha à medida que avança o derretimento dos glaciares. De acordo com as estatísticas oficiais, mais de 4.800 pessoas escalaram o Monte Everest. Destas, ao todo existem 300 montanistas que faleceram na tentativa de chegar ao cume e, por questões de segurança e logística, ainda estão no cume.

De acordo com as informações oficiais das agências de turismo que exploram o Monte Everest, existem aproximadamente 100 cadáveres enterrados pela neve. Alguns dos corpos estão sendo retirados da aresta chinesa da montanha, na face norte. Ang Tshering Sherpa, ex-presidente da Associação de Montanhismo do Nepal, declarou que “devido ao aquecimento global, os glaciares do Everest estão derretendo rapidamente, e os corpos que estiveram enterrados ali todos os anos, estão sendo expostos”.

“Temos retirado cadáveres de montanhistas que morreram recentemente, mas os que estavam enterrados há muitos anos também estão aparecendo”, completou Ang Tshering Sherpa. Um funcionário do governo do Nepal relatou à reportagem da BBC que baixou algo como 10 corpos nos últimos anos e estão aparecendo muito mais. A Associação dos Operadores e Expedições do Nepal declarou que lidar com esta “aparição” dos restos mortais de montanhistas não é fácil. De acordo com a lei nepalesa, é necessário que as agências oficiais devem estar participando de qualquer resgate de cadáver no Monte Everest.

Baixar um destes corpos da montanha custa em torno de US$ 40.000 a US$ 80.000, visto que o local pode aumentar ou diminuir a dificuldade. De acordo com o jornalista Alan Arnette, considerado o maior especialista em assuntos sobre o Everest, a maioria dos montanhistas expressam desejo de que, caso aconteça a sua morte, sejam deixados na montanha.

A aparição de cadáveres no Everest é um indício claro e evidente de que os glaciares no Nepal estão cada vez mais finos. Vários estudos científicos já constataram que na região do Monte Everest, assim como de grande parte da Cordilheira do Himalaia, está derretendo e perdendo volume a uma velocidade impressionante. Um estudo de 2015, constatou que as lagoas do glaciar de Khumbu, estão cada vez maiores e tornando-se um coisa só. As lagoas são originadas pelo degelo dos glaciares. Por conta do nível de água destas lagoas, o exército nepalês já drenou a água da região em 2016.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.