Brasileiro será o primeiro ex obeso mórbido a escalar o Aconcágua

Meu nome é Alex Sandro Azevedo, tenho 36 anos de idade, moro em São José dos Campos SP.

Desde a minha adolescência sofri com a obesidade, mesmo com essa dificuldade sempre pratiquei esporte desde criança, acredito que por isso não fiquei muito gordo.

Quando adulto, o trabalho, a má alimentação e  o sedentarismo tomou conta, onde engordei absurdamente.

Todos os esforços para emagrecer tornaram-se uma tortura e em vão, pois cada tentativa era uma frustração e de brinde ganhava mais peso conseqüentemente o desespero tomava conta quando percebi estava pesando 136 kg com 1,63 de altura no ano de 2004.

Desde então, alguns problemas começaram a aparecer como: hipertensão, dores nas costas, cansaço, apneia do sono, e tinha consciência que isso poderia agravar e corria o risco de desenvolver diabete, câncer, infarto.

Além das doenças crônicas aliadas a obesidade, sofria várias rejeições, ao entrar em um ônibus e travar na roleta, passear no shopping e todas as crianças apontando como se eu fosse um extraterrestre, os motivos de chacotas e apelidos, ao ir a um restaurante sentar na cadeira e quebrar… Essas coisas me torturavam por dentro, cheguei até a pensar em suicídio.

Meu maior pesadelo era não poder ver meus filhos crescerem e terem vergonha de um pai obeso, minha esposa me abandonar, vivia na “neura”.

Mesmo com toda essa depressão, baixa estima, resolvi realizar a cirurgia de redução de estomago, mesmo sabendo que poderia morrer na mesa ou na pós-cirurgia… ”não tinha nada a perder eu pensava”.

Graças a Deus, tenho pessoas especiais que sempre me incentivaram e me apoiaram, os quais nunca me abandonaram e sempre estavam ali no momento em que mais precisava.

Quando acordei na UTI, meio embriagado pelo efeito da anestesia, percebi que sobrevivi, e ao mesmo tempo uma dor insuportável em meu abdômen onde minha pressão subia, e mal conseguia respirar.

Transferido para o quarto, já iniciei as atividades de fisioterapia e caminhadas… Durante o primeiro mês não dormia de tanta dor que eu sentia, minha alimentação era à base de líquidos e nada mais… Já no segundo mês, a alimentação passou a ser pastosa, as dores foram diminuindo, e as caminhadas aumentando aos poucos, já havia emagrecido cerca de 10 kg. No terceiro mês, arriscava alguns alimentos mais solido, mas com muito cuidado…somente após 1 ano comecei a comer normalmente quantidade super reduzida, em virtude ao tamanho do meu estomago, e intensifiquei no esporte, no caso o Tae kwon do, onde já era faixa preta…

Já bem mais magro, e me sentindo melhor, sofria com as conseqüências da cirurgia e novo estômago, os vômitos e as fraquezas eram constantes, necessitava diariamente tomar o polivitaminico para suprir o dia a dia.

Mesmo tendo emagrecido rapidamente, meus treinos foram interrompidos, devido a uma intervenção cirúrgica, pois acabei desenvolvendo pedra em minha vesícula que corria o risco de entrar no pâncreas agravando mais a situação.

O pesadelo do pós-cirúrgico começa novamente, recuperação e cuidado, mas estava magro.

Outro aspecto que era terrível era a estética, trocar um corpo gordo, por um corpo magro, com cicatriz e cheio de peles sobrando… Sair sem camisa, nem pensar, usar sunga, fora de cogitação… Olhava no espelho e quase chorava…

Aos pouco fui acostumando e percebendo que muita coisa ia melhorando, a sensação de entrar em uma loja de roupa de gente normal, vestir algo e servir era emocionante, passar na roleta do ônibus e não travar era maravilhoso, ir ao shopping e passar despercebido pelas pessoas, era a melhor coisa do mundo.

Certo dia minha esposa recebeu o e-mail e encaminhou pra mim, o assunto era “trekking de regularidade”, onde me escrevi com mais 04 amigos e fomos participar, identifiquei na hora, era aquilo que eu queria, muita lama, mato, subida e descida… A partir daí não parei, e queria sempre mais… Onde busquei desafios maiores, em 2010 comecei a trilhar em montanhas, em São Francisco Xavier, e o famoso Pico dos Marins – Piquete SP (serra da Mantiqueira), quando visualizei aquela imensidão de rocha me senti uma formiguinha, mas com muito respeito, humildade e vontade fui subindo escalaminhando, conhecendo um mundo novo no montanhismo, me surpreendendo, ao chegar ao topo da montanha aos seus 2.420,7 metros acima do nível do mar.

Com  a pratica do trekking e montanhismo, minha curiosidade foi aumentando ainda mais, fiz outros picos próximos a minha região, como Pico do Corcovado em Ubatuba, Pedra do Baú em São Bento do Sapucaí, Pico das agulhas negras, Prateleiras em Itatiaia e a mais desafiadora, Pedra da Mina sendo a 4º montanha mais alta do Brasil.

Parti para as travessias, Marins x Itaguaré, São Francisco Xavier x Monte Verde e travessia Serra Fina (essa sendo uma das mais difíceis do País).

Meu próximo desafio será escalar O monte AconcáguaSentinela de Pedra – tem 6.962 metros de altitude, e é simultaneamente o ponto mais alto das Américas, de todo o hemisfério Sul, está localizado  a 112 km de Mendoza na Argentina.

O nome do projeto é Superação no Cume, sendo o 1º Ex-Obeso mórbido do Brasil a escalar o monte Aconcágua.

Minha rotina de treinos tem sido, atividades em montanhas, treinos de Tae kwon-do, Jiu Jitsu, e corridas

Faço acompanhamento medico com endócrino, e minha alimentação tem sido controlada, para suprir as necessidades de treino e me mantendo saudável.

Além do desafio o projeto tem como objetivo despertar o Obeso a uma mudança de vida, afim de que possa ver alem de suas frustrações, uma qualidade de vida, uma vida saudável e social.

Estamos contato, com parceiros para abraçar esse projeto como Patrocinadores, coberturas de mídias, e toda a ajuda possível deste projeto.

Facebook: http://www.facebook.com/Aconcagua2013

Site: www.superacaonocume.com (Em Desenvolvimento)

e-mail: [email protected]

Sobre o Autor

Luciano Fernandes

Luciano Fernandes

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

There are 7 comments

  1. Luis Ecoturista

    Um detalhe que acho importante colocar é que as suas aventuras nas montanhas estão sendo realizadas com responsabilidade e seriedade.
    Caminhadas assim exigem planejamento e gerenciamento de riscos.
    As montanhas exigem respeito! E isso você tem por elas!
    Ir até o Pico dos Marins, subir o Corcovado (Ubatuba) e, principalmente, realizar a temida Travessia da Serra Fina são exemplos de determinação.
    Não vejo apenas o seu lado de superação quando você completa uma trilha.
    Está dentro de você algo bem mais bacana: o amor pela sua família, motivador principal na sua escolha por uma vida de alto astral.
    Outro detalhe que identifico em você: o imenso prazer em estar nas montanhas, que te entrega saúde física e bem estar espiritual!
    Viva a vida, Alex!!!

  2. Luis Ecoturista

    Eu já te dei os parabéns, Alex! E como tenho certeza que várias pessoas ao seu redor tem participação fundamental na sua história de superação, agora os parabéns vão para a sua esposa e seus filhos, seus motivadores principais!
    Uma das coisas legais que eu li no texto do “Blog da Escalada” é a sua identificação com os esportes, especialmente o trekking!
    Na travessia da Serra Fina – que fizemos na semana passada – percebi o seu prazer em estar nas montanhas! Ela traz para nós, amantes da natureza, a sensação de bem estar físico e mental!
    Qualidade de vida! Prazer em viver!
    Que venham novas aventuras, Alex!
    E por favor, me convide!!!

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.