Boludos y Pelotudos

Um dos melhores países para se escalar no mundo é a Argentina. Gostem os seguidores do Galvão Bueno ou não. Se alguém tem algum preconceito com os argentinos deveria perder.

O país é lindo, tem escalada de primeiro mundo, o preço das coisas para nós brasileiros está excelente pois o câmbio nos favorece agora, e as pessoas são extremamente educadas.

Não é desnecessário lembrar que no Valle Encantado foram justamente brasileiros quem infringiram as regras de etiqueta e ecologia vigentes por lá (jogando lixo na trilha por exemplo). Foi até mesmo um brasileiro quem jogou solvente químico no Rio deliberadamente.(comportamento típico de um “Pelotudo”)

Se não está na sua agenda conhecer a Patagônia, escalando em locais os quais qualquer adjetivo é pouco perto do que se aprendenta, deveria repensar suas idéias.

Falando um “portunhol” bem básico faz-se muita coisa por lá. De antemão já lhe aviso que a principal palavra que irá escutar por lá é “Boludo” e talvez “Pelotudo” caso continue se comportando como um mané.

A palavra “boludo” é mais escutada do que bom dia, por favor e obrigado. Juntas.

Depois de escutar muito, e perguntar a todos sobre esta palavra que somente existe no linguajar de um argentino (no chile é UEVÓN e no méxico é UEY) nunca consegui entender.

Porém o excelente jornalista Ariel Palácios, correspondente da Globo News e do Jornal O Estado de São Paulo, vem me salvar.

Em um post COMPLETÍSSIMO explica por A + B como usar e quando usar a palavra.

“Boludo” é o impropério argentino par excellence, que indica o ‘idiota’, ‘imbecil’, ‘tonto’, ‘panaca’. A expressão-insulto – a preferida neste país – designa aquele que possui “bolas” (testículos) grandes. No entanto, não se trata de uma explicação anatômica, mas sim, uma referência à substancial falta de inteligência da pessoa insultada.

Em diversas culturas, expressões similares eram utilizadas para referir-se a algum panaca sideral. É o caso dos italianos, que utilizam há séculos a expressão ‘coglione’ (etimologia e uso desta expressão tão típica da península, neste artigo do wikipedia: http://it.wikipedia.org/wiki/Coglione ).

Em ambos casos, os termos servem para indicar com ironia que alguém possui os testículos tão grandes que não pode mover-se de forma normal. Uma forma elíptica para explicar que alguém não pensa – ou age – de forma sensata.

“Boludo” é um insulto, se utilizado com o devido tom e intensidade vocal.
Mas, desde os anos 80 também pode ser usado como parte da saudação entre pessoas conhecidas.

Exemplo: “Que tal, boludo?” (e aí, boludo?). Ou ainda: “Boludo/a, onde é que a gente vai jantar hoje?”.

Transformou-se, para certos casos, em um equivalente ao “cara” no Brasil. “E aí, cara, gostou da lasanha?” (Y, boludo, te gustó la lasaña?)

O jornalista argentino Hernán Di Bello me disse que a palavra “boludo” tem amplas funções. “Ela é usada para abrir o fechar uma frase. Por exemplo: “boludo, no sabés el auto que me compré!” (boludo, você não tem ideia do carro que eu comprei!). Ou uma garota falando para outra: “el muchacho que atiende el kiosco de la esquina me encanta, boluda” (adoro o rapaz que trabalha no quiosque da esquina, boluda!).

E, em algumas ocasiões, tem quase a função de aspas, indo no início e no final da frase: “boluda, me compré un vestido negro fantástico, boluda!” (boluda, comprei um vestido preto fantástico, boluda!)

O ‘boludo’ possui, como vemos, uma miríade de aplicações. Pode oscilar do insulto ao cumprimento amável. Já o epíteto “pelotudo”, sinônimo de ‘boludo’, possui implicâncias sempre negativas.

Nas últimas duas décadas, o uso cada vez mais amplo do ‘boludo’, e certa perda de potência de seu significado – por causa de sua resemantização – valorizou o ‘pelotudo’.

O “pelotudo” é um equivalente ao boludo, pois refere-se ao tonto e estúpido. Além disso, também origina-se nas referências aos testículos de grandes dimensões.

Embora não conte com acento algum, a palavra, para ter a devida sonoridade, deve ter um ênfase especial na terceira sílaba, o “tu” (tú). Isto é, pronunciar assim: pelodo.

USOS

Uso em espanhol portenho, como insulto afirmativo: “Sos un pelotudo” (Você é um pelotudo).
Mas também pode ser usado, com muita frequência, como interrogativo: “No ves que sos un pelotudo?” (Não vê que você é um pelotudo?).
Atenção: Não necessariamente espera-se uma resposta da pessoa inquirida.

Para ler o texto completo, acesse : http://blog.estadao.com.br/blog/arielpalacios/?title=boludo_o_improperio_par_excellence_da_ar&more=1&c=1&tb=1&pb=1

Sobre o Autor

Luciano Fernandes

Luciano Fernandes

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.