Seguradoras fazem ultimado ao Nepal e ameaçam não cobrir expedições em 2019

Na temporada de montanhismo no Nepal, como noticiado em primeira mão pela Revista Blog de Escalada, foi revelado um esquema de corrupção que fraudava os resgates de montanhistas no Nepal. As autoridades nepalesas tiveram que admitir que uma fraude nos seguros de expedições estava sendo desenvolvida. O esquema envolvia guias de montanha, agências de trekking, companhia de helicópteros e até mesmo hospitais privados.

Todos estes agentes formaram um elaborado esquema para gerar mais resgates de montanha do que era realmente necessário. O esquema era muito bem orquestrado e, inevitavelmente, enfureceu as companhias de seguro, que foi quem pagou toda a conta. Até o momento, as investigações (realizadas pelo próprio governo nepalês) revelou que cada parte do esquema de corrupção tinha um papel detalhado:

  • Guias de montanha: Fazia pressão mental em cada um dos clientes, insistindo que sejam resgatados por menor que seja o problema apresentado. Há relatos de que provocavam náuseas ou diarreias adicionando bicarbonato de sódio na comida.
  • As agências de montanhismo: Pagavam comissões aos seus empregados para que colaborassem com o esquema, chegando, inclusive, a escolher quem seriam os potenciais resgatados.
  • Hospitais: Recebia os montanhistas resgatados, faziam cobranças de procedimentos desnecessários e até mesmo internações, retendo até mesmo o passaporte do paciente.

Toda a investigação realizada pelo governo nepalês, foi incentivada pela companhia de assistência média e controle de custos Traveller Assist. A empresa possui uma expertise de prestar serviços aos seus clientes que viajam a Nepal, América Central, América do Sul, etc. A empresa é contratada por três grupos de seguradoras.

No final do mês de janeiro, segundo reportagem do jornal americano The New York Times, a Traveller Assist anunciou um ultimado ao governo do Nepal, ameaçando de cobrir as viagens a este país. A empresa espera uma resposta oficial do governo nepalês até 15 de fevereiro próximo. O ultimado é de que as 17 empresas envolvidas no esquema de corrupção foram multadas ou fechadas. Ninguém envolvido no esquema de corrupção também foi preso.

Desde que o esquema foi revelado, dos 1.600 resgates realizados no Nepal, pelo menos 15% são considerados fraudulentos. O governo nepalês não divulgou o nome de nenhuma empresa, nem mesmo os valores oficiais da fraude. Nenhuma empresa nepalesa foi processada desde a descoberta do esquema.

De acordo com Jonathan Bancroft, diretor administrativo da Traveller Assist, cada resgate custa em média US$ 40.000 cada. De acordo com os números da empresa, as perdas superam US$ 4 milhões.

O governo do Nepal ainda não anunciou uma resposta oficial.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.