Mitos da sobrevivência: É seguro beber sua própria urina?

No filme 127 horas há uma cena que chocou a todos, ficando no inconsciente coletivo como uma técnica de sobrevivência. No filme, o personagem vivido por James Franco, com o braço preso a uma rocha, optou por beber a própria urina para que não morresse desidratado.

Uma outra cena que também ficou muito popular foi a do inglês Bear Grills, que em seu programa “Running Wild with Bear Grylls” recebeu a atriz Michele Rodriguez. No episódio, Michele Rodriguez coletou sua própria urina e ambos procuraram utilizá-la cozinhar algo. A cena ficou famosa, fazendo o vídeo com um trecho do programa rapidamente viralizar.

Invariavelmente alguém perguntará a você se, durante as atividades outdoor que realiza, alguma vez teve de fazer o mesmo. Mesmo que faça esta pergunta a todos os praticantes, a porcentagem de pessoas que irão responder positivamente é muito pequena.

Portanto vale a pergunta: é realmente seguro bebermos a nossa urina?

Beber urina faz mal

Foto: http://www.mirror.co.uk

Apesar de algumas pessoas afirme categoricamente que nos casos extremos, beber nossa própria urina pode nos hidratar, este conceito é totalmente errado. Sim, você leu certo. Beber a própria urina (ou de qualquer outra pessoa) é péssimo. Além de fazer mal a você, não produz nenhum efeito de hidratação, além de piorar o estado de desidratação. Portanto a urina não é considerada uma opção viável de bebida.

Há pessoas que alegam que é uma tática de sobrevivência do exército beber urina. Pois bem, o Manual de Campo do Exército americano (disponível para download) recomenda não beber xixi mesmo em situações de sobrevivência. A justificação é de que o sódio da urina irá acelerar a desidratação.

No caso de alguém encontrar-se em uma situação que corre perigo de vida, o organismo tentará conservar a maior quantidade de água que puder. Portanto, beber a própria urina em uma situação extrema seria o semelhante a beber a água do mar para matar a sede.

Observando por um prisma mais científico, facilmente entendemos porque não deve ser bebida a urina. Sendo o nosso xixi um meio que contém os resíduos corporais líquidos e solúveis, mesmo que contenha grande porcentagem de água (95% aproximadamente), contém grande quantidade de toxinas provenientes do fígado. Por isso, quanto mais desidratado estiver, maior será a concentração daqueles elementos contaminantes na urina.

Em uma situação extrema, o mais provável é que esteja desidratado, deixando a urina muito concentrada e com uma cor extremamente amarela (isso sem falar do cheiro). Bebendo-a irá aumentar sensivelmente a quantidade de toxinas no seu organismo.

Posso potabilizar a urina?

Na hipótese de que tenha um filtro de água, a pergunta seria se é possível potabilizá-la. A resposta é um sonoro não. Isso porque os sais minerais, íons e moléculas presentes na urina são muito pequenos e os filtros potabilizadores de água não conseguem filtrá-los. Outras formas de tratamento, como raios Ultravioleta e tratamentos químicos, somente matam micróbios, mas não eliminam contaminantes de tamanho molecular.

Os filtros são ideais para eliminar microrganismos (bactérias, protozoários e vírus) e resíduos orgânicos, mas nada podem fazer para purificar uma urina concentrada (lembre-se que está desidratado!) e fazê-la bebível.

Conclusão

A única maneira de beber urina de forma segura, caso se encontre em uma situação de desidratação, é eliminando os contaminantes dissolvidos nela ou, pelo menos, reduzi-los a níveis muito baixos. Para isso somente há duas maneiras de fazer:

  • Osmose inversa: utilização de uma pressão muito alta para forçar a água fazer o caminho através de uma membrana que literalmente permite somente a passagem da água, sem o sal
  • Destilação por evaporação: Aplicar calor á urina, até que o vapor condense em um recipiente diferente

Por tantos pontos negativos, beber urina é totalmente contraindicado, sob qualquer hipótese. Portanto, mesmo que seja apreciador de “golden shower” (se não sabe o que é pesquise no Google), não prejudique a sua saúde bebendo urina.

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

There are 2 comments

  1. Rubens de Camargo Vianna Filho

    Este assunto gerou discussão entre os protagonistas do programa em Desfio em Dose Dupla USA. Entre o Cody Lundin explicando o motivo pelo qual não deve-se beber urina, como citado neste artigo e o militar Joe Teti afirmando ao contrário.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.