Avaliação sapatilha de escalada TC Pro – La Sportiva

A sapatilha TC Pro da La Sportiva foi desenhada com a ajuda de Tommy Caldwell, visando ser uma opção para vias longas de escalada clássica, sobretudo em granito.

Segundo o fabricante, o solado Vibram XS Edge 4 mm, e tecnologia P3 Platform, de densidade média, visa versatilidade em poder escalar diversos tipos de formações ao mesmo tempo que garante durabilidade, sem perder sensibilidade.

O teste

Foto: Cissa Carvalho

A sapatilha foi testada num período de um ano em locais de escalada como Aiguilles d’Envers (uma zona de escalada em Chamonix conhecida por seu granito sólido, com excelentes fissuras e aderências), além das torres de granito do Frey e Arenales na Argentina.

Foi usada também em vias esportivas em basalto no Rio Grande do Sul e quartzito da Chapada Diamantina, e vias clássicas de fissura em granito, basalto e dolorita na Escócia.

Foto: Cissa Carvalho

Foram escaladas predominantemente vias clássicas de graduação 5sup ao 7b brasileiros, predominando fissuras de entalamento, alguns diedros e chaminés, e alguns trechos em aderência.

As sapatilhas foram usadas apenas durante a escalada, com e sem meias. Elas foram transportadas na mochila com todo o restante do material de escalada e após o uso foram deixadas um pouco ao ar livre para ventilar.

Prós

  • Extremamente confortáveis para vias longas, muito mais que as Mythos
  • Excelente para entalamento em fissuras, com boa cobertura lateral de borracha para “doer menos”
  • O bico mais pontudo ajuda em passos delicados e em aderência
  • Lateral alta para proteger o calcanhar em entalamentos mais profundos

Contras

  • Não funciona muito bem em fissuras pequenas (Cam 0.5), mesmo com o bico pontudo
  • Sola Vibram, que ainda passa longe da aderência da Stealth C4 da concorrente FiveTen, e cuja aderência deixa a desejar
  • Cara

Notas

  • Qualidade do material: 4
  • Acabamento: 4
  • Design: 5
  • Conforto: 5
  • Relação peso x volume: 5
  • Relação custo x beneficio: 4
  • Nota Final: 4,5

Opinião

Foto: Cissa Carvalho

A TC Pro, para mim, foi paixão ao primeiro uso. Queria muito comprá-la mas o preço salgado (€ 140) era proibitivo até que por acaso passei na loja de fábrica da La Sportiva nas Dolomitas e pude experimentar diversos tamanhos e comprar um modelo com 40% de desconto.

O investimento valeu a pena, e o primeiro teste não poderia ter sido em terreno melhor que numa região que tem algumas das melhores fissuras alpinas dos Alpes Franceses.

A TC Pro tem a sola semi-rígida e um design levemente curvado para baixo mas ainda assim quase plano, além de ponta assimétrica e tornozelos altos. De princípio não parece que será assim tão confortável para um dia inteiro (ou dois) de escalada, mas logo ao calçar já se sente o conforto, graças ao enchimento extra sobre os dedos, na língua e nas laterais.

Foto: Cissa Carvalho

Esse enchimento serve originalmente para tornar menos desconfortáveis os entalamentos de pés, mas no final eles também mantem os pés bem quentinhos nas vias que fiz, acima de 3.000 metros de altitude. Não só não tive que escalar de meias, como também não precisei tirar as sapatilhas nas paradas de tão confortáveis que estavam (eu comprei um número bem próximo do meu normal, nem muito justa nem larga). Só tive que utilizar meias numa escalada na Escócia pois a temperatura era de menos de 10 graus na sombra e ventava muito.

O bico pontudo também foi uma boa surpresa, já que permitiu utilizar bem pezinhos minúsculos e até mesmo fazer um pequeno entalamento numa fissura bem pequena de 7b brasileiro. Uma sapatilha como a Mythos por exemplo, jamais entraria numa fissura pequena por ter a ponta muito arredondada. Ou seja, para uma via mais longa onde você com certeza vai encontrar enfiadas bem técnicas, vai ser um alívio ter as TC Pro, pois elas passam muita confiança para escalar acima do sexto grau.

Foto: Cissa Carvalho

As borrachas nas laterais aderem bem para os entalamentos onde tem que girar o pé para realmente entalar, e são grossas o suficiente para aliviar um pouco da dor de entalamentos mais profundos.

As TC Pro obviamente não se sairiam bem em negativos e qualquer tipo de escalada mais atlética. As sapatilhas são desenhadas especificamente para vias longas verticais, técnicas e com fissuras, porém nesses quesitos, a performance é impressionante e praticamente perfeita. Com certeza é a melhor sapatilha de via longa que já provei, contudo, por ser cara, somente recomendaria a quem realmente vai fazer vias mais comprometedoras. Para vias fáceis/moderadas, recomendo as Mythos.

Foto: Cissa Carvalho

Duas críticas: primeiro, é que de princípio a lateral alta fica raspando um pouco no calcanhar, mas isso parou de acontecer bem rapidamente, e não senti que foi uma sapatilha que necessitou ser amaciada, ela se adaptou ao meu pé imediatamente.

A segunda é que por mais esforço que a La Sportiva faca, suas borrachas ainda deixam muito a desejar. A primeira enfiada da primeira via que fiz em Envers era um diedro perfeito nem muito negativo e senti pouca confiança na aderência da sola XS Edge. Na Shelter Stone na Escócia, num diedro de 25 metros de puro laybacking em granito completamente liso, também escalei sem confiança porque era claro que a sapata escorregava na “liseba”.

Foto: Cissa Carvalho

Cissa Carvalho é natural de São Paulo e praticante de esportes outdoor desde os 8 anos de idade. É alpinista fanática, e nas horas vagas tenta escalar em rocha, surfar e arranjar dinheiro para continuar viajando. Já esteve em todos os continentes e já escalou na América do Sul, África, Ásia e Europa

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.