Aprenda a diferença entre produtos light e diet

Você sabe qual é a diferença entre produtos light e diet?

Geralmente as pessoas se sentem confusas ao se depararem com produtos lights e diets.

E grande parte acredita que os produtos diets não possuem açúcar e os lights não possuem gordura, no entanto, nem sempre isso acontece.

Segundo a legislação é facultado aos fabricantes colocarem os termos light e diet no rótulo dos produtos.

  • O termo light é utilizado para indicar uma Informação Nutricional Complementar.
  • Já o termo diet é utilizado em Alimentos para Fins Especiais, ou seja, para condições fisiológicas ou grupos populacionais específicos.

Mas aí você se pergunta: O que é uma Informação Nutricional Complementar? O que são Alimentos para Fins Especiais?

Vamos esclarecer essas dúvidas?

Então vamos lá!

Informação Nutricional Complementar

diet-light-1

Segundo a RDC n° 54, de 12 de novembro de 2012, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Informação Nutricional Complementar (declaração de propriedades nutricionais) é qualquer representação que afirme, sugira ou implique que um alimento possui propriedades nutricionais particulares, especialmente, mas não somente, em relação ao seu valor energético e/ou ao seu conteúdo de proteínas, gorduras, carboidratos e fibra alimentar, assim como seu conteúdo de vitaminas e minerais.

Exemplo: reduzido em calorias, reduzido em sódio.

O termo light é um tipo de Informação Nutricional Complementar e é utilizado como sinônimo de “reduzido”.

Um produto pode ser “reduzido” em valor energético, açúcares, gorduras totais, gorduras saturadas, colesterol e sódio.

Para que um produto possa ser considerado light, ou “reduzido”, é necessário uma redução mínima de 25% em um nutriente específico em relação ao produto padrão.

A legislação ainda estabelece que um produto não pode ter em seu rótulo apenas a expressão light ou “reduzido”, deve apresentar a informação de qual nutriente foi reduzido e o percentual de redução.

Exemplo: light – 35% menos gorduras; reduzido em açúcares – 25% menos açúcares.

Alimentos para Fins Especiais

De acordo com a Portaria n° 29, de janeiro de 1998, da ANVISA, Alimentos para Fins Especiais são os alimentos especialmente formulados ou processados, nos quais se introduzem modificações no conteúdo de nutrientes, adequados à utilização em dietas, diferenciadas e ou opcionais, atendendo às necessidades de pessoas em condições metabólicas e fisiológicas específicas.

Exemplo: produtos para diabéticos e hipertensos.

O termo diet somente pode ser utilizado em algumas categorias de alimentos para fins especiais como alimentos para dietas com restrição de nutrientes (carboidratos, gorduras, proteínas, sódio), alimentos para controle de peso e alimentos para ingestão controlada de açúcares.

Consolidando tudo que foi discutido acima percebemos que, segundo a legislação vigente, os fabricantes só podem utilizar o termo diet em produtos para fins especiais (voltados para um público específico – diabéticos, hipertensos…) e o termo light para destacar uma redução em valor energético ou em algum outro nutriente em comparação a um produto padrão.

Foto : http://www.slideshare.net

Foto : http://www.slideshare.net

É importante ressaltar que produtos lights e diets não necessariamente serão os mais saudáveis que você encontrará no mercado, pois muitas vezes para que se consiga uma redução ou eliminação de um nutriente ocorre o aumento de outro nutriente.

Podemos ver isso em chocolates diets, sem açúcar, mas ricos em gorduras; em refrigerantes zero, sem açúcar, mas com teor maior de sódio…

Fora esses problemas têm muitos fabricantes que tentam enganar o consumidor utilizando porções diferentes no produto light em relação ao produto padrão, dando a falsa impressão de redução de valor energético e/ou outros nutrientes.

Cuidado! Leia sempre o rótulo por inteiro, principalmente a lista de ingredientes e a tabela nutricional para não ser enganado e, se possível, compare o produto modificado com o padrão do fabricante.

Se você busca uma alimentação saudável o melhor caminho é consumir a menor quantidade possível de produtos industrializados e se for utilizar esses produtos escolha bem, lendo as informações do rótulo.

Dê preferência a alimentos naturais, frescos e orgânicos .

Abaixo exemplos de rótulos de produtos lights e diets comparados aos seus padrões.

Rótulo de um refrigerante padrão e sua versão “zero açúcar” – comparando as tabelas percebemos que o refrigerante “zero” possui mais sódio.

Refrigerante padrão

lightOuDiet_4

Fonte: http://www.paodeacucar.com.br/

Refrigerante “zero”

Fonte: http://www.paodeacucar.com.br/

Fonte: http://www.paodeacucar.com.br/

Chocolate

Rótulo de um chocolate padrão comparado ao diet – pela tabela nutricional percebemos que não há muita diferença de calorias nem de carboidratos, no entanto o diet possui mais gordura.

Foto : http://nutrireviver.com/tag/rotulos/

Foto : http://nutrireviver.com/tag/rotulos/

 

Rótulo de um produto padrão e o light – nesse exemplo fica claro que o fabricante mudou a porção no produto light, o que nos dá a falsa impressão de redução de calorias.

lightOuDiet_1

Fonte: http://www.pepsico.com.br/

Banner_1

Sobre o Autor

Kelly Cristina de Oliveira

Kelly Cristina de Oliveira

Nutricionista na Empresa IBITI Montanhismo e Escalada, formada pela Universidade de Brasília (UnB), especializada em Avaliação e Terapia Nutricional de Paciente Renais, cursando Pós-Graduação em Nutrição Funcional. Cursos de extensão na área de bioquímica e patologias e na área de nutrição esportiva.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.