Aprenda a como defecar no mato

Cagar-no-mato1

Foto: http://feeds.feedburner.com/

Pode parecer um assunto superado, algo do que já se falou centenas de vezes, mas mesmo assim ainda achamos rastros nas montanhas do mundo de usuários inexperientes que deixam inconfundíveis provas pedindo a gritos que alguém volte a ensinar-lhes como defecar no mato.

Kathleen Meyer publicou faz alguns anos um livro que tem o mesmo título deste post.

Para muitos, o livro (e por tanto também este post) estará cheio de obviedades, porém não é para estes “defecadores profissionais” a quem está dirigido, senão para aquelas pessoas que, diante de um aperto em uma agradavel tarde de domingo, se escondem em algum canto seguro, onde ninguém pode ver seu traseiro e menos ainda sua cara de esforço.

Geralmente este “defecador inexperiente” procura também um lugar limpo.

Lamentavelmente, diante do stress e nervos de não evacuar no imaculado banheiro de sua casa, o defecador inexperiente esquece às vezes de como deixar o lugar tal e como o teria achado.

Cagar-no-mato2

Foto: Desnivel

Kathleen Meyer  reflete no seu livro a respeito da atividade que o defecador pratica no mato, isso fez com que ela descubra que o problema básico da poluição de fezes humanas não é precisamente estética e sim sanitária:

“A melhor defesa para proteger nossas áreas salvagens, nossos amigos silvestres e a nós mesmos, é desenvolver alguns hábitos cuidadosos para desfazer dos nossos desperdícios – cavar um buraco ‘meioambientalmente’ seguro e enterrar esta merda (literalmente)- unido a uma compulsão educativa educará todo novato sobre condutas na natureza.”

Por esse motivo mostra através de vários capítulos diversos conceitos que podem nos ajudar a combater o problema.

A seguir detalhamos alguns que podem ajudar a melhorar o nosso entorno para nos converter em defecadores profissionais:

Cavar um buraco

O objetivo de cavar um buraco é evitar que os organismos causadores de doenças se propaguem por via humana, animal ou por águas torrenciais e que acabem em águas de superfície cercanas, ou por insetos voadores para áreas com alimentos.

Não existem regras para todos os terrenos, estações ou climas.

Na verdade, tem tantas variantes e efeitos que, no começo, pode pensar que é preciso ter doutorado para saber tudo isso.

A descomposição do material fecal enterrado depende do tipo e textura do solo, permeabilidade, conteúdo de umidade, inclinação do terreno, orientação em geral, insetos residentes, PH e temperatura.

O lugar ideal

O lugar ideal para uma rápida descomposição vai de seco a úmido, mas não muito úmido.

Por exemplo um lugar perfeito seria aquele que tem sombra de vegetação, não uma zona onde passam águas, nem um lugar que se alaga anualmente pela crescente de águas por perto.

Em áreas com erosão ou climas abaixo de zero onde a atividade bacteriana do solo é praticamente nula é melhor tirá-lo de lá.

Finalmente, tem que evacuar em zonas longe do campings, seus colegas ficaram agradecidos

Como escavar e aumenta o ritmo de decomposição

O jeito mais efetivo para que os dejetos se decomponham é escavar até os primeiros 20 cm do solo.

Isso proporciona uma capa de terra suficientemente grosa como para evitar o contato com animais e que os insetos voadores consigam levar agentes patógenos de outras áreas com alimentos.

Com o propósito de acelerar o ritmo de descomposição do cocô, deve se misturar com a terra própria do buraco. ë recomendavel o uso de um pau ou para para remover e colocar  a bactéria do solo em contato com o cocô.

O papel higiênico

Não enterrar nem queimar o papel higiênico, evitando a possibilidade de provocar um incêndio. Simplesmente tem que tirá-lo de lá.

Recomendamos levar um saco plástico para evitar a sujeira.

Alternativas ao papel higiênico

  • Ante um aperto, é possível que não achemos nem um baby waipes . Tranquilo, existem alternativas:
    • Um graveto: Pegue um graveto, tire a corteza e use de cima para baixo dando voltas sobre se mesmo.
    • Folhas: Usar folhas grandes que achemos no chão. Cuidado de não pegar urtigas e espinhos.
    • Neve: Normalmente está gelada, mas ao contato com a bunda derrete.
    • Flores: São frágeis, mas vai muito bem.
    • Uma meia: Se for velha, melhor
    • Para tudo mais: Criatividade e respeito

Leva tudo de volta

Cagar-no-mato3

Metolius Waste Case – poop tube

Esta prática é para defecadores profissionais de nível júnior, já que aqueles que são comprometidos com o meio ambiente, entendem que a terra pode absorver um número determinado de vezes.

Esta prática é necessária em lugares muito concorridos onde a prática da evacuação é muito habitual.

São lugares onde não podemos largar a carga no caminho

Há lugares com ecossistemas que demoraram muitos anos em se formar e são muito delicados.

Provavelmente uma vez que já decidimos praticar a estratégia  de “levá-lo de volta” , nos topamos com o problema de não achar instalações preparadas para receber a nossa merda empacotada.

Nesses casos é recomendavel substituir o saquinho plástico por alguma embalagem ou pop tube.

Nosso nariz e dos nossos parceiros de viagem agradecem muito.

Para finalizar, é importante falar que se no lugar de cocô temos xixi e devemos ter alguma precauções além de mantermos longe das pessoas do ao redor, como por exemplo evitar lugares aonde o cheiro pode ser desagradavel para os outros e evitar fazer em rochas, já que em essas superfícies o xixi fede muito e por muito tempo.

Para os mijadores masculinos recomendamos também não fazer a contra vento.

Tradução autorizada de: Furgoperfecto

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.