Agarras de escalada feitas por impressoras 3D prometem revolucionar o mercado de ginásios

Não é segredo para ninguém que alguns modelos de negócios tendem a perder liderança de mercado, ou até mesmo deixar de existir, com o aparecimento de novas tecnologias que melhoram a qualidade de um determinado produto ou serviço.

Assim está sendo com revistas impressas que não sabem trabalhar com internet, com emissoras de TV que não migram para serviços de streaming, com músicos que não aderem a serviços sob demanda e assim por diante.

O que dizer então do mercado de agarras de escalada?

Especialmente o tão sub-aproveitado “shaper” (espécie de designer de agarras de escalada) que era o responsável por criar formato de agarras que desafiassem o escalador e, ao mesmo tempo, não o lesionasse.

Foto: http://www.3ders.org/

Foto: http://www.3ders.org/

No trabalho de shaper foram testadas texturas, formas orgânicas e até mesmo peças que se assemelhavam a criação de esculturas.

A menos que os criadores de agarras se esforcem para criar um produto de qualidade superior aos que já fazem, as impressoras 3D podem devorar uma fatia do mercado destes profissionais.

A impressão 3D, também conhecida como prototipagem rápida, é uma forma de tecnologia de fabricação aditiva onde um modelo tridimensional é criado por sucessivas camadas de material.

Atualmente, nos modelos mais modernos, é possível simultaneamente depositar diferentes tipos de materiais.

Para quem consiga vislumbrar uma oportunidade a utilização de agarras de escalada feitas com impressoras 3D já são uma realidade dentro do mercado, e o uso desta ferramenta tende a revolucionar os ginásios de escalada pelo mundo afora.

Utilizando scaners 3D, como o Arduino-powered desktop 3D scanner, é possível que a a partir de uma matriz como uma agarra já existente na rocha (ou alguma que tenha quebrado) para simular de maneira mais real a escalada indoor.

No momento os modelos criados por impressoras 3D não possuem a mesma resistência das que são fabricadas pelo processo tradicional, mas a utilização do aparelho já está impactando o processo construtivo das grandes marcas de agarras de escalada.

Foto: http://www.3ders.org/

Foto: http://www.3ders.org/

Portanto a utilização de impressoras 3D atualmente fazem com que o tempo de criação, e molde, das agarras de escalada fiquem em torno de 12 a 24 horas.

Mas a criação de formatos e texturas a partir da peça criada, como uma máscara por exemplo, e a partir dela a criação de um molde, e assim ser produzida em série, já é real sendo, inclusive, utilizada pelos principais fabricantes.

Foto: http://www.3ders.org/

Foto: http://www.3ders.org/

A tendência é que seja possível que as impressoras 3D já fabriquem agarras de escalada diretamente da impressora e que tenham os requezitos de segurança iguais aos das existentes hoje.

Apesar de uma parcela de escaladores torcerem o nariz para o crescimento de academias de escalada, esta demanda por novidades e tipos diferenciados de agarras pode fazer com que até mesmo treinamentos de atletas seja modificado.

Para saber mais detalhes: http://www.3ders.org

Foto: http://www.3ders.org/

Foto: http://www.3ders.org/

Argentina de nascimento e brasileira de coração, é apaixonada pela Patagônia e Serra da Mantiqueira.
Entusiasta de escalada, trekking e camping.
Tem como formação e profissão designer de produto e desenvolve produtos para esportes de natureza.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.