Acabe com os braços tijolados na escalada: Conheça a melhor técnica para recuperar as forças do antebraço

Imagine a seguinte situação : você está na metade da via de escalada com os braços inchadíssimos e na melhor agarra. Sente que necessita tirar rapidamente este mal estar dos antebraços e, claro, recuperar suas forças, porque ainda faltam muitos movimentos para seguir em frente. A técnica chamada de “G-TOX” demonstrou que a recuperação é mais rápida nestas situações.

Embora pessoas acreditem que é uma técnica recente, ela já possui mais de uma década de vida como método de recuperação do antebraço de escaladores. Mas mesmo assim ainda é muito pouco utilizada pela comunidade. Já no ano de 2005 foi publicado um estudo científico que comparou esta técnica com o padrão. O estudo demonstrou uma melhora estatisticamente significativa nos antebraços “tijolados”.

Esta melhoria pode ser visualizada nos gráficos abaixo.

No primeiro gráfico está relacionado com acúmulo de ácido lático usando ambas as técnicas. Com a técnica de G-Tox o ácido lático diminuía aproximadamente em 50% nos primeiros dois minutos, em comparação com o método padrão.

O segundo gráfico mostrou que a utilização do G-Tox aos dois minutos de repouso, a fora do antebraço era muito maior que usando o método padrão.

O que é G-Tox ?

A técnica de G-Tox consiste em alternar o nível do antebraço, entre a cintura e cabeça, sacudindo-o. Do ponto de vista científico e fisiológico tem bastante sentido. Explico : Durante a contração muscular há oclusão parcial, ou total, da irrigação sanguínea, especialmente quando há intensidades altas.

Durante 20% de uma contração máxima há uma deterioração (diminuição) da irrigação muscular. Já sobre 50% de contração máxima pode haver uma oclusão completa da irrigação sanguínea.

Durante uma contração como, por exemplo, pendurar-se em um reglete ruim, significa que durante este tempo não há um intercâmbio metabólico de resíduos. No relaxamento muscular, ou ao diminuir a contração. é quando os capilares e vasos pequenos novamente se abrem e se encarregam de arrastar resíduos levando, assim, oxigênio e glucose.

O sacudir os antebraços à altura da cintura é o método que todos usam, pois aumenta a irrigação dependente de artérias e capilares. Mas ao mesmo tempo aumenta a entrada de sangue no músculo dando início do que pode até piorar a sensação de inchaço. O segundo passo é tirar o sangue pós capilar que arrasta os resíduos.

Nesta segunda fase o que importa é o retorno venoso, ou seja tirar o sangue do antebraço. Como o sangue vai em direção ao coração e a pressão das veias é muito baixa e, por isso, muito dependente da gravidade. Levantar o antebraço até a altura da cabeça (acima do coração) gera uma força de gravidade que ajuda ao sangue venoso a poder voltar com maior facilidade ao coração.

Foto : http://rocanbolt.com

O G-Tox melhor a irrigação de sangue fresco quando o antebraço está para baixo, melhorando assim a saída de sangue com resíduos quando o antebraço está para cima.

Este método possui anos e já foi demonstrado que funciona e do ponto de vista fisiológico tem sentido. Usá-lo pode fazer toda a diferença para se recuperar na metade da via de escalada, ou quando sentir que necessitar.

Tradução autorizada de : http://rocanbolt.com

banner-rocanbolt

Sobre o Autor

Gonzalo 'Gonzo' Riobbo

Gonzalo ‘Gonzo’ Riobbo

Gonzo Rocanbolt é chileno, médico, escalador e indiscutivelmente uns dos mais completos autores de artigos sobre treinamento de escaladores existentes no mundo. Respeitado em todo o mundo é o organizador do Simpósio de Medicina de Montanha no Chile e palestrante de eventos de escalada no Chile, Argentina e Espanha

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.