O segredo dos campeões: A rotina de treinos da bicampeã brasileira de boulder

Camila Macedo ostenta seus 33 anos com muito orgulho e em excelente forma, a atleta é exemplo de que foco, disciplina, treino e organização são fatores essenciais, para obter sucesso na escalada, e olha que ela não é uma veterana no esporte, seu primeiro contato com a escalada foi em janeiro de 2011 e, de lá para cá, ela coleciona diversos títulos de campeonatos, opens e festivais.

Camila-Macedo-4

Foto: Roniel Fonseca

Até hoje, foram dez participações em eventos competitivos, contabilizando seis primeiros lugares, três terceiros e um sexto, Camila é enfática em dizer, que jamais teria chegado aonde chegou, se não fosse à parceria de seu marido Eduardo Gama, que além de “segurar as pontas” quando a atleta está fora de casa, se divide entre sua empresa e toda a assessoria que presta a carreira dela. Sem falar no apoio de Lucca, seu filhote, que também já segue os caminhos trilhados pela mãe.

A atleta segue hoje, um ciclo de treinamento que é progressivo, e intercala estresse físico com períodos predeterminados de recuperação.

Seu objetivo é adaptar o treino, as características dos campeonatos, principalmente nos períodos próximos às etapas.

A intenção do trabalho é adaptar para a escalada propriedades do treinamento desportivo, focando no alcance de um desempenho físico que mais se aproxime das competidoras de alto nível do Brasil.

Camila-Macedo-3

Foto: Roniel Fonseca

A bicampeã brasileira passou alguns dias do mês de janeiro treinando com o técnico de escalada André Berezoski, na academia de escalada Espaço BBloc, em São Bento do Sapucaí, e ela confessou para a Revista Blog de Escalada que todo competidor brasileiro que pensa em evoluir deveria fazer o mesmo, pois considera que o altíssimo nível da academia e o acompanhamento técnico adequado, fez toda a diferença pra ela.

Atualmente, o técnico de escalada Guto Gouveia, o personal Bruno Klein e o boulderista André Braga, integram a equipe que a auxilia em sua rotina de preparação.

Camila não hesitou em atender nosso pedido de abrir a “Caixa Preta” de sua rotina de campeã, e detalha que nos períodos afastados de campeonatos, ela segue a seguinte rotina semanal, de dois dias de treinos com seu técnico Guto, na academia de escalada Caverna, mais um dia com o personal Bruno, na musculação, ou no Ginásio de Escalada Campo Base, onde ela também agita o “Treino de Quinta” com as meninas.

Mas como ninguém é de ferro, ela tem dois dias de descanso, e no final de semana, escala na rocha.

Já nos períodos que antecedem os campeonatos, faz treinos duplos três vezes na semana – de manhã e no final da tarde, complementando com treinos regenerativos de dois dias.

A rotina é dura, e muitas vezes a Camila tem que abrir mão da escalada na rocha, em alguns finais de semana, principalmente em períodos próximos às datas de competições.

Ela nos conta também, que durante a periodização, passa por dias de alta intensidade de exercícios, seguidos de aproximadamente uma semana de recuperação, nesse ciclo de quase 15 dias, a atleta tenta dormir entre oito e dez horas, muda a dieta e faz uso de suplementos como whey protein e aminoácidos.

Além disso, afirmou que a sua alimentação só é restringida (de doces, refrigerantes e guloseimas) nos períodos pré-competitivos; fora essa fase, sua dieta é hipercalórica.

“Tenho uma genética favorável, meu metabolismo é acelerado e tenho um alto gasto calórico. Então, para manter o peso, me alimento de duas em duas horas e procuro ingerir alimentos calóricos, assim não preciso comer grandes quantidades de uma só vez.”

Camila-Macedo-1

Foto: Roniel Fonseca

Camila confessou que considera muito pesado o desgaste físico e emocional que sente durante as semanas de choque (maior volume e intensidade de exercícios), principalmente pós-campeonato, que envolve desgaste emocional, perda de peso, muitas responsabilidades e logística.

Se não fosse o apoio da família e o trabalho junto ao fisioterapeuta, provavelmente não teria os mesmos resultados que tem expressado nos últimos dois anos.

Mencionou também que nesses quatro anos de contato com a escalada, teve a sorte de treinar nas melhores estruturas e de aprender com alguns dos melhores técnicos do Brasil.

Desabafou ainda que sente muito por não poder se dedicar com mais frequência à escalada na rocha, mas que todo ano tenta conhecer um ou dois setores novos.

A escaladora coleciona boulders clássicos da região do Morro do Anhangava e Caiobá, lugares conhecidos por terem fortes e sólidas graduações.

Durante um período de sua trajetória, algumas lesões apareceram, mas foi apenas depois que Camila caiu de um boulder batendo com o pé fora da área protegida, causando uma entorse no tornozelo, que ela conheceu o fisioterapeuta, osteopata e escalador Léo Boiarski.

O especialista orientou um regime sério e contido de períodos de descanso e regeneração, o que contribuiu para um maior rendimento e diminuiu a prevalência de lesões e dores.

Camila-Macedo-2

Foto: Roniel Fonseca

Camila, além de dividir sua intensa rotina de atleta, com a de mãe e esposa, está concluindo no mês de julho a faculdade de Bacharelado em Educação Física na UTFPR, e isso não é tudo, ela ainda arranja tempo para atuar como personal trainer, e aplicar aulas de treinamento funcional na Caverna Ginásio de Escalada.

Mas como todo mundo tem seu ponto fraco, com a Camila não seria diferente, e quando perguntamos pra ela qual seria o aspecto negativo dessa vida tão agitada, ela diz:

“Recebo total apoio da minha família!

Meu filho curte muito o fato de a mãe ser campeã brasileira de escalada, e meu marido é sempre o meu principal motivador, mas as viagens castigam um pouco meu coração, e às vezes quando estou viajando, me pergunto se algum dia vou me acostumar com o tempo que passamos distante, e sempre chego à mesma conclusão: não, nunca vou me acostumar, cada minuto longe dos meus amores é muito sofrido.

Meus amigos anfitriões e parceiros de viagens que o digam, pois são eles que me dão colo e as tão necessárias palavras de incentivo quando a saudade bate, e assim vou levando, muitas vezes chorando a falta que me fazem os meus meninos!”

Camila Macedo reconhece que um atleta não chega a lugar algum sozinho, e por isso, faz questão de mencionar seus apoiadores: Léo Boiarski – Fisioterapia, Caverna Ginásio de Escalada, Parque Natural Braço Esquerdo, Ginásio Campo Base, Matramba Cartucheiras, Marumby Montanhismo, Cardoso Treinamentos, Alien Energy Drink e Roniel Fonseca que além de seu amigo, é o fotógrafo que registra seus momentos.

Foto no topo: Roniel Fonseca

Lílian Ponte e Silva, é formada em Segurança do Trabalho e Direito. Seu trabalho é voltado para o desenvolvimento humano e autoconhecimento, tratando de assuntos como escolhas conscientes, física quântica aplicada ao cotidiano e saúde, comunicação afetiva e efetiva, o poder da gratidão e desenvolvimento de potencialidades.
Ministra workshops, palestras e facilita vivências, bem como faz atendimentos individuais e familiares, juntamente com seu sócio que é terapeuta.

There is one comment

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.