A Escalada da Proteína Vegetal

Alimento é combustível, e proteína é essencial em qualquer dieta, especialmente para os atletas. Disso ninguém discorda.

No entanto, se analisarmos uma dieta baseada em alimentos que não são de origem animal, inúmeras opiniões surgem, mas na maior parte delas faltam fundamentos científicos.

Contraditoriamente do que algumas pessoas acreditam, a dieta vegana tem uma influência satisfatória na performance de atletas ao redor do mundo. Veja alguns exemplos aqui.

Esse artigo é parte de uma série de três artigos em que nós da Mun Artesanal iremos:

  1. Discutir os princípios da dieta de origem vegetal
  2. Entrevistar um atleta vegano renomado e
  3. Dar exemplos de refeições proteicas sem o uso de produtos de origem animal.

Estudos mostram que as dietas que banem produtos de origem animal são associadas à inúmeros benefícios para saúde devido ao seu alto teor de fibras, ácido fólico, vitaminas C e E, potássio, magnésio e fitoquímicos.(i)

Além dos benefícios físicos, a dieta vegana tem um menor impacto ambiental e difunde a liberação animal.

Um professor da Universidade Cornell de Nova Iorque garante que para a produção de um quilo de proteína animal é necessário 15 vezes mais água que para a produção de um quilo de proteína vegetal.(ii)

Contudo, como os atletas conseguem suprir suas necessidades diárias de proteína através dessa dieta?

As dietas baseadas em proteína vegetal suprem as necessidades do corpo tanto quanto as dietas baseadas em proteína animal?

Smoothie de abacate e barrinha de Goji Berry com base de castanhas, sementes, e pasta de amendoim integral.

Smoothie de abacate e barrinha de Goji Berry com base de castanhas, sementes, e pasta de amendoim integral.

A resposta imediata é que a proteína pode ser encontrada em grãos, sementes e nozes. E é correto dizer que as proteínas vegetais são equivalentes as proteínas de origem animal quando consumidas em combinações variadas.

Analisando mais à fundo; toda célula, tecido e orgão do corpo humano possui proteína, que é usada pelo corpo tanto para o desenvolvimento quanto para sua manutenção. O que caracteriza uma proteína é que ela é composta de aminoácidos.

Existem 22 aminoácidos da cadeia proteica e eles são divididos em dois grupos: os que podem ser produzidos pelo próprio corpo e os que não podem, e estes, devem ser suplementados. Este segundo grupo é chamado de aminoácidos essenciais e são fundamentais em qualquer tipo de dieta.

Cada alimento contém uma variação proporcional de aminoácidos essenciais. Os alimentos que possuem a proporção correta do valor diário recomendado dos aminoácidos essencias são conhecidos como proteínas completas.

Você já deve ter ouvido falar que produtos de origem animal (carnes, lácteos e ovos) são os únicos alimentos deste tipo; isso não é verdade. Existem alimentos como o grão de bico, a semente de abóbora e a quinoa que por si só já possuem esses valores recomendados.

Além disso, para obtenção de tais valores, é possível ainda combinar leguminosas (lentilha, ervilha, feijão) com grãos (arroz, quinoa, milho).(iii)

Proteína-Vegetal-1

Barrinha protéica de Banana com proteína isolada de ervilha

Estudos mostram que se você se alimenta diariamente com a quantidade de proteínas adequadas, variando o cardápio, consumirá os aminoácidos necessários.(iv)

Vale lembrar que a dieta vegana está apta a suprir todas as necessidades nutricionais, até mesmo para atletas de alta performance; e ao mesmo tempo proporciona benefícios à saúde e ao meio ambiente, diminuindo impactos sociais.

No próximo artigo vamos conversar com um atleta vegano e entender como ele administra sua alimentação e qual a influência da dieta vegana na sua performance.

Chegar ao topo da montanha é estar em equilíbrio com a sua consciência, com o meio ambiente e com a sua alimentação; tendo proteína suficiente para quaisquer desafios.

i  Craig, Winston. “Health Effects Of Vegan Diets.” American Journal of Clinical Nutrition 89.5 (2009): 1627S-633S. Web. 23 June 2015. <http://ajcn.nutrition.org/content/89/5/1627S.full#ref-80>.

ii Pimentel, David, and Marcia Pimentel. “Sustainability of Meat-based and Plant-based Diets and the Environment1,2,3.” The American Journal of Clinicial Nutrition 78.3 (2003). Web. 23 June 2015. <http://ajcn.nutrition.org/content/78/3/660S.full>

iii “Nutrition for Everyone: Protein.” Centers for Disease Control and Prevention. (2012). < http://www.cdc.gov/nutrition/everyone/basics/protein.html>.

iv McDougall, John MD. “Plant Foods have a complete Amino Acid Composition.” America Heart Association (2002). < Adpweb.com.br/adpbr/rhweb17.exe/WService=rhweb17pro/loginusupas>

MUN-artesanal

Sobre o Autor

MUN Artesanal

MUN Artesanal

Somos produtores artesanais de alimentação natural no coração de São Paulo. Para nós, urbano e natural são sinônimos e acreditamos que o futuro da terra e da humanidade está em criar soluções sustentáveis para a produção de proteína. E uma coisa está clara: carne de animal não é a solução. Por isso, elaborar produtos com alto teor protéico é a nossa filosofia. Escolhemos acreditar em um mundo generoso, em um mundo abundante. Um mundo que comemora os ritos da vida. Nos inspiramos no celestial, porém sabemos que o verdadeiro paraíso está aqui na terra, no presente

There are 3 comments

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.